sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Problema para o consumidor: Unimed oficializa desligamento de cirurgiões em Londrina

A notícia que abaixo será transcrita aponta que os consumidores da Unimed Londrina deixarão de contar com alguns cirurgiões cardíacos. Nota triste e preocupante, pois os consumidores continuarão a pagar pelo mesmo valor que pagam hoje, mas contarão com uma cartela de opções menor. E não se trata de qualquer cartela, mas de quadro em segmento cujos tratamentos particulares exigem grandes recursos financeiros que os clientes de planos de saúde esperam não pagar justamente por já pagarem pelo plano de saúde. Além disso, há aqueles clientes cujos médicos escolhidos seriam exatamente os descredenciados. E a Unimed diz que seus clientes não serão prejudicados. Como não? O que será feito de concreto para os consumidores? Essa resposta, parece-me, não estar na reportagem. Acredito que seja fundamental a manifestação também da ANS sobre o caso. Vamos acompanhar e exigir nossos direitos.
Segue reportagem do portal "BONDE":


A Unimed Londrina comunicou, nesta quinta-feira (19), que não conseguiu chegar a um acordo com os cinco cirurgiões cardíacos que prestam serviços, atualmente, à operadora. A empresa aceitou o descredenciamento dos profissionais.

Os cinco médicos ficaram de prestar serviços à Unimed até o próximo dia 31. A partir da data, eles estarão 'oficialmente' desligados. Por meio da assessoria de imprensa, a operadora informou que os clientes não vão ser prejudicados. A empresa trabalha em parcerias com clínicas e hospitais da região para continuar oferecendo atendimento ao londrinense.

O presidente da Cooperativa dos Cirurgiões Cardíacos (Coopcardio) do Paraná, Marcelo Freitas, disse desconhecer o descredenciamento dos profissionais de Londrina. "Eles têm autonomia de discutir e negociar a situação diretamente com a operação. Só fazemos a intermediação quando a questão envolve acordos conjuntos", explicou.

Sobre as negociações no estado, Freitas limitou-se a dizer que houve avanço. "Estamos há duas semanas tentando chegar a um acordo com a Unimed, mas ainda não temos nada de concreto para divulgar. Esperamos chegar a um consenso com a empresa no final do mês", completou.

Os cirurgiões cardíacos começaram a ameaçar descredenciamento em massa da Unimed em novembro do ano passado. Eles reivindicam a atualização na tabela de preços pagos, atualmente, pelas consultas médicas. "Os valores estão defasados há mais de 15 anos."

Além dos cinco profissionais de Londrina, 13 cirurgiões de outras cidades do estado já se descredenciaram da operadora.


Fonte: BONDE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato pela contribuição. Flávio